sábado, 6 de agosto de 2011

Respondendo às suas perguntas

Caros Amigos:

Os artigos anteriores, com especial ênfase para o de 25 de Junho “o que esperar numa entrevista de selecção e como se preparar” geraram muitos comentários positivos e elogios que muito agradeço! Entretanto, também aparecerem várias perguntas de leitores que naturalmente precisam de ajuda. Dedico este artigo à responder as perguntas:


Pergunta 1.  O que  faz alguém que recebe uma proposta para ocupar um cargo que nunca ocupou antes e não tem experiência nenhuma sobre o trabalho a realizar?
A minha sugestão é: aceite a posição se ela tem cabimento nos seus planos de carreira a  médio e longo prazo! A experiência ganha-se na posição e não fora dela.

No artigo de 29 de Maio de 2011 “como se preparar para o mercado de trabalho”, dissertei sobre a importância de se definir o trajecto de carreira, e para tal fazer uma análise FOFA que nos facilita apurar o nosso potencial bem como as fraquezas é bastante útil. Quando temos um plano definido de carreira, torna-se fácil tomar a decisão sobre aceitar ou não uma posição. Por exemplo, se a minha aspiração é tornar-me um Especialista em Recursos Humanos, aceitar uma oferta para a posição assistente de contabilidade não é uma decisão que vai de encontro com as minhas aspirações. Devo seriamente poderar o valor que tal decisão irá acrescentar.

Por vezes recebemos ofertas de emprego para posições que não nos sentimos preparados, mas se temos a analise FOFA feita, poderemos verificar quais são as competências necessárias para a posição que nos é oferecida e avaliar o real potencial de sucesso.

Devo acrescentar entretanto, que por vezes o MEDO do fracasso
poderá ser o maior impedimento do que o potencial.  A organização que faz uma oferta após um processo de selecção, naturalmente que o faz baseado em bons fundamentos. Se está em dúvida quanto ao seu potencial para ser bem sucedido nessa posição, poderá fazer as seguintes perguntas à organização:

  1. O que é que me distingui de entre os outros candidatos a esta vaga?
  2. Sinto que ainda tenho muito por aprender para que me sinta confortável nesta posição. Que planos de desenvolvimento é que têm para tais situações?
  3. De que recursos poderei dispor em caso de necessidade de melhorar as minhas competências?

Avalie as respostas da organização, e se esta posição faz parte do teu trajecto de carreira, aceite a posição e vá a luta. Você tem um grande potencial dentro de si, pronto a ser explorado!

Pergunta 2: Se a pessoa concorre para uma vaga e é chamada depois de muito tempo, enquanto que acaba de abraçar outro emprego, pode largar o novo emprego, tendo apenas 2 ou 3 meses de trabalho? Se largar não vai influenciar negativamente na outra empresa e sua integridade profissional? É ético? Seria uma grande falta de respeito e consideração? Dona Marta, como acabar com estes bichos na cabeça de alguém?

Quanto estamos a procura de emprego, enviamos currículos e participamos em processos de selecção em várias empresas. Os recrutadores estão cientes disso, e você não deve pensar que o seu caso é unido.

Quando recebe uma oferta de emprego enquanto acaba de entrar para a outra empresa, melhor ainda para você, porque ai, você tem dois pássaros na mão, já provou um, e pode decidir melhor o que quer – isto é, tudo está a seu favor. Fique frio, pense e si em primeiro lugar. Sugiro os seguintes passos:

  1. Diga a emprega que acaba de lhe oferecer o emprego que como você não ouviu deles durante x tempo, você acabou aceitando outra oferta, mas como ainda está no período probatório, gostaria de receber a proposta por escrito para poder analisa-la com calma – não fale nada com seu novo empregador...
  2. Se receber a proposta avalie a oferta financeira (salários e benefícios), avalie a solidez da organização comparativamente a que actualmente lhe emprega, o tamanho da organização e o potencial de carreira. Se estes aspectos não estão claros para si, peça um encontro e faça perguntas explorativas – lembre-se você agora está a ser disputado/a, não está desesperado a procura de emprego;
  3. Avalie também, qual das posições é que cabe melhor nos seus planos de carreira;
  4. Se a maior pontuação está para a nova oferta, tente negociar o salário (sempre pode subir um bocado...), e aceite a posição;
  5. Em relação a empresa onde você está a pouco tempo, depois de ter assinado o contrato com a outra, peça um encontro explique os seus motivos e peça imensas desculpas, mas você tem que seguir o que é melhor para si.
  6. A lei laborar permite-lhe o curto pré-aviso durante o período probatório, e fora dele, apenas 30 dias.  Você deve negociar o seu inicio com a outra empresa respeitando esse período.

O que você vai ganhar é respeito pela sua coragem! Algumas organizações podem reagir mal, mas acredito que o potencial para manchar a sua carreira é muito reduzido porque você nem vai precisar de listar essa empresa no seu CV (estava em período probatório). Se o período for para além do probatório, minha sugestão é que faça uma análise de custos e benefícios. Se o custo for apenas financeiro mas que você pode gerir, então fique onde está pelo menos 2 anos. Se o custo for a sua carreira, então siga o seu caminho porque as oportunidades nem sempre batem a mesma porta duas vezes!

Pense em si em primeiro lugar. A empresa sempre irá encontrar alguém para lhe substituir. Moçambique tem muita gente a procura de emprego, não acha?


Pergunta 3.  É MUITO DIFÍCIL negociar o dia da entrevista, pois na maior parte das vezes as empresas ditam as regras, e os interessados na vaga normalmente demonstram a famosa disponibilidade imediata, por isso acredito que seja uma difícil negociação, tenho muitas dificuldades em gerir o nervosismo e quase sempre tenho dificuldades em responder a duas perguntas, 1." quanto pretende receber?" e 2."quanto está a receber no emprego actual, ou quanto recebia no último emprego?" será que devo responder sem mentiras?

Negociar é difícil quando nos colocamos e situação de inferioridade e não conhecemos o nosso valor.

As empresas quando recrutam, muitas vezes estão tão ansiosas em encontrar a pessoa certa que você se surpreenderia com o nível de flexibilidade que elas estão dispostas a demonstrar. Quando você recebe uma proposta para entrevista para curto espaço de tempo diga: sinto-me muito honrado/a por terem-me seleccionado para a entrevista, mas o dia e a hora proposta não me convêm porque já tenho um compromisso marcado. Sugiro o dia x ou x a hora que lhe for conveniente – veja a reacção. Se for negativa, então você está a ser chamada para uma organização que poderá não ter por hábito respeitar as pessoas.

Entretanto, se estiver nervoso/a demais no momento que receber a chamada (compreende-se, não estava a espera), diga que está dentro do banco e precisa de desligar (não se pode falar ao celular no banco) diga que retorna a chamada em cinco minutos. Desligue, respire fundo, visualize-se na entrevista e sinta a boa sensação que essa imagem lhe causa! Já está calmo/a?  Faça a ligação – já percebeu que quando você liga para alguém, praticamente que você é que está com o controle da situação? Alô, aqui fala o fulano, estou a retornar a sua chamada, acredito que tinha proposto a entrevista para dia x as x horas. Aproveitei para verificar a minha agenda e noto que nessa data e hora da já tenho um compromisso que não tenho como desmarcar dada a proximidade do momento, mas estou livre nos dias x e x. Que hora é que lhe convém? Gira a conversa de forma a não parecer desesperado e nem inflexível. Negocie uma situação ganha/ganha!

Quando pretende receber? É uma pergunta que avalia a sua ideia sobre o seu valor. É importante ir a uma entrevista com uma ideia sobe quanto é que o mercado paga nessa posição e como é que a organização em questão se posiciona no mercado. Ligue para algumas pessoas que trabalham na área (redes de contacto) e faça uma pesquisa. Se está inseguro/a poderá responder da seguinte maneira:
         Cada organização tem uma tabela salarial estabelecida para cada posição. Acredito que para esta também já há algo pré-estabelecido. Acredito que o mercado paga entre x – x para esta posição mas gostaria de ouvir o que vocês têm como oferta de salário e benefícios.

A pergunta sobre quando ganhou em outras posições não ajuda em nada a organização a tomar a decisão em relação ao seu presente. O que de facto tem algum valor é a pergunta relativa à sua expectativa para a posição em questão. Se você fez uma pesquisa e tem a sua análise FOFA para a posição que está a ser entrevistada então você pode claramente arriscar mencionar um valor. Se o fizer, nunca mencione um valor de que você acha muito abaixo do que você vale, é sempre melhor mencionar mais elevado.

Depois de mencionar o valor que espera, cale-se (literalmente feche a boca) já assisti alguém de tão nervoso que estava baixar de 80,000 Meticais para 15,000 meticais sem a minha intervenção!

Deve dizer sempre a verdade? Nunca minta. Se a verdade não lhe interessa partilhar diga claramente, “eu prefiro não responder a essa pergunta porque se estou nesta entrevista é porque não estou satisfeita com a minha actual posição financeira e prefiro discutir a vossa oferta”

Pergunta 4: Pode ajudar-me a encontrar emprego?  Use as dicas para procurar emprego.  Eu vou partilhando as posições que me são enviadas.  Vá a luta, o futuro é promissor. Depois dê-nos um feedback sobre como uma ideia ou outra serviram para si.

Sem comentários:

Enviar um comentário